Engenharia Química

Este engenheiro trabalha com os processos industriais que empregam transformações físico-químicas

Este engenheiro trabalha com os processos industriais que empregam transformações físico-químicas.

Ele cria técnicas de extração ou obtenção de matérias-primas, sua utilização e transformação em produtos químicos e petroquímicos, como tintas, plásticos, têxteis, papel e celulose.

Desenvolve produtos e equipamentos, além de pesquisar tecnologias e processos mais eficientes e menos agressivos para o meio ambiente.

Projeta e dirige a construção e a montagem de fábricas, usinas e estações de tratamento de rejeitos industriais.

É possível ingressar na carreira com uma formação de tecnólogo.

Dúvida do vestibulando

QUAL A DIFERENÇA ENTRE QUÍMICA E ENGENHARIA QUÍMICA?

Os dois profissionais têm diferentes campos de atuação. O bacharel em Química trabalha, fundamentalmente, em laboratórios, fazendo análises químicas, desenvolvendo materiais e propondo novos processos para obter produtos químicos.

O engenheiro químico também se ocupa de processos químicos, mas em escala industrial – ou seja, ele trabalha na indústria, dimensionando equipamentos e definindo as etapas do processo de fabricação.

Para realizar atividades tão distintas, o curso de Química tem um foco maior em disciplinas ligadas às ciências puras, enquanto a Engenharia trabalha mais com a aplicação dessa ciência no dia a dia de uma indústria.

O que você pode fazer

Desenvolvimento Criar e aprimorar produtos na indústria química, petroquímica e de alimentos e analisar sua viabilidade técnica e econômica. Aperfeiçoar o processo e a tecnologia de fabricação ou beneficiamento.

Meio ambiente Definir normas e métodos de preservação ambiental em toda a cadeia produtiva. Reciclar e tratar resíduos industriais. Desenvolver tecnologias limpas.

Processo industrial Planejar e supervisionar operações industriais, administrando as equipes e etapas da produção. Estudar e implantar métodos para aumentar a produtividade, reduzir custos e garantir a segurança no trabalho.

Projetos Projetar fábricas, determinar processos de produção, instalações e equipamentos, procedimentos de segurança e a logística de estocagem e movimentação de materiais.

Mercado de Trabalho

O leque de atuação do profissional é amplo e o coloca entre os mais requisitados dos engenheiros.

As maiores demandas pelo profissional vêm do setor petrolífero, mas segmentos tradicionais se mantêm estáveis, como a indústria de polímeros e de tintas e vernizes.

O setor farmacêutico e de cosméticos, nos quais o profissional é chamado para criar novos produtos é um dos mais aquecidos.

Nos próximos anos, deve aumentar a procura pelo setor agroindustrial, onde o engenheiro trabalha com a produção de fertilizantes e defensivos, assim como na indústria de papel e celulose, onde ele pesquisa e desenvolve processos de produção e métodos para tratar os resíduos industriais.

Na área ambiental, começam a surgir vagas no tratamento de resíduos, no reaproveitamento de matérias-primas e na geração de energia de fontes renováveis.

A crise hídrica verificada nos últimos anos em vários estados do Sudeste aumentou a demanda pelo engenheiro químico, requisitado para promover o aumento da eficiência das indústrias e da gestão da água.

Os polos industriais dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo concentram os principais empregadores.

O crescimento da produção mineral, a instalação de uma refinaria em Pernambuco e do estaleiro Enseada do Paraguaçu, na Bahia, abrem boas perspectivas para a Região Nordeste.

Ainda na Bahia, há demanda pelo graduado no Polo Industrial de Camaçari, que conta com mais de 90 empresas instaladas, incluindo químicas, petroquímicas, de celulose e de fertilizantes.

Existem oportunidades também no Centro Industrial de Aratu (CIA), na região metropolitana de Salvador.

Curso

Física, matemática e, principalmente, química, estão presentes em todo o curso.

Os recentes avanços da biotecnologia faz com que disciplinas relacionadas às Ciências Biológicas sejam aos poucos incorporadas ao currículo.

A partir do terceiro ano, o conhecimento adquirido nessas disciplinas passa a ser aplicado a processos físico-químicos, nos quais o aluno aprende a identificar as reações, a analisar e a purificar compostos químicos e a projetar equipamentos relacionados com as diversas transformações que ocorrem na indústria química.

As aulas em laboratório, inclusive nos de informática, ocupam parte significativa da carga horária. O estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

Duração média: 5 anos.

Fonte: Guia do Estudante