Engenharia de Telecomunicações

O engenheiro de telecomunicações desenvolve, implanta e dá manutenção a redes de telecomunicações

O engenheiro de telecomunicações desenvolve, implanta e dá manutenção a redes de telecomunicações.

Com boa formação na área elétrica e eletrônica, ele cria, planeja e constrói equipamentos.

Cuida de cabeamentos aéreos e subterrâneos, satélites artificiais, centrais de transmissão, captação, codificação e retransmissão dos sinais que interligam o planeta.

De seu trabalho depende toda a rede mundial de telefonia, transmissão de dados, como internet, redes de computadores, rádio e televisão.

Ele atua em empresas concessionárias de serviços de telecomunicações, de telefonia, de fibra óptica e de infraestrutura para sistemas de telecomunicações.

Também encontra trabalho na indústria eletroeletrônica, nos órgãos reguladores das atividades de telecomunicação e nas empresas de pesquisa científica e tecnológica.

É possível ingressar na carreira com formação de tecnólogo.

O que você pode fazer

Infraestrutura Criar, projetar, construir, implantar, operar e gerenciar sistemas e redes de telecomunicações, inclusive comunicações de dados, como internet.

Internet móvel Desenvolver sistemas de transmissão de dados via aparelhos sem fio que dão acesso à internet.

Projeto Planejar sistemas de transmissão de dados digitais por meio de cabos ópticos e satélites.

Serviços Gerenciar a implantação, a tarifação, a configuração, a operação e o gerenciamento de redes de telecomunicações. Desenvolver novas tecnologias e equipamentos para comunicação de dados, informática e automação.

Mercado de Trabalho

Com a implantação do Programa Nacional de Banda larga (PNBL), do governo federal, em 2001, o acesso à internet por banda larga móvel (por smartphones) aumentou de 13 milhões de acessos naquele ano para 178 milhões em 2015.

A meta do governo é que 95% da população tenha acesso à internet de banda larga nos próximos dois anos. Essa evolução abre boas perspectivas para os especialistas em telecomunicações.

O governo federal e as operadoras do setor são os maiores empregadores. Em São Paulo, há vagas em centros de pesquisa e empresas de TI.

Com as metas impostas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Norte e o Nordeste devem elevar a demanda pelo bacharel.

Fábricas de aparelhos de telecomunicação e eletrônicos da Zona Franca de Manaus também contratam.

Curso

As disciplinas básicas incluem física, cálculo, informática, desenho e química. Na parte específica do curso, você tem aulas de comunicação, eletrônica, processamento de sinais, comunicações ópticas, fundamentos de telefonia, sistemas operacionais, técnicas digitais, redes de computadores de alta velocidade, televisão (analógica e digital) e comunicação via satélite. O estágio é obrigatório, assim como a apresentação de um trabalho de conclusão de curso. Atenção: em algumas escolas, este curso é oferecido como habilitação de Engenharia Elétrica.

Duração média: 5 anos.

Fonte: Guia do Estudante